segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Alexandre, o Grande (21 Julho de 356 a.C. – 10 de junho de 323 a.C.)

Em 356 a.C nasceu um homem cujo poder e soberania agregaram a seu nome, O Magno, assim o conhecemos...

"Nada é impossível para aquele que persiste."
Alexandre, o Grande

"Ou você muda de atitude ou de nome!"
Alexandre, o Grande

"Eu não temeria um grupo de leões conduzido por uma ovelha, mas eu sempre temeria um rebanho de ovelhas conduzido por um leão."

Alexandre, o Grande


Quando à beira da morte, Alexandre convocou os seus generais e relatou seus 3 últimos desejos:

1 - que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época;

2 - que fosse espalhado no caminho até seu túmulo os seus tesouros conquistados (prata, ouro, pedras preciosas...);

3 - que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão, à vista de todos.

Um dos seus generais, admirado com esses desejos insólitos, perguntou a Alexandre quais as razões. Alexandre explicou:

1 - Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles NÃO têm poder de cura perante a morte;

2 - Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem;

3 - Quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos.

Nenhum comentário: