segunda-feira, 31 de agosto de 2009

HISTÓRIA DO YOGA

Há 6.500 anos apareceu um grande espiritualista de nome Sada Shiva. Na antiguidade, na Índia, na época da vida de Shiva, os homens eram quase animais, quer dizer, os homens viviam controlados pelos instintos básicos – medo, sono, fome e sexo.

Não havia uma estrutura social sólida, e portanto, não havia aquele espírito de coletividade que é necessário para o progresso humano. Os homens tinham alguns conhecimentos sobre medicina, arte,
arquitetura e educação, mas não sabiam nada sistematicamente. Eles também não partilhavam os seus conhecimentos, com medo de ver o seu próprio prestigio diminuído. Assim, muitos conhecimentos se perderam,
e o resultado foi que não havia mais uma maneira sistemática de realizar as atividades ou de ensinar os demais. Shiva deu um sistema para desenvolver todas as faculdades humanas.

Deste modo o homem de natureza animal começou a usar um sistema em sua vida. Esse sistema se chama Tantra Yoga.

A CONTINUIDADE DE TANTRA ATRAVÉS DA HISTÓRIA

Nessa época do inicio, havia só idiomas falados. Tampouco havia um sistema educacional em particular. Geralmente os alunos viviam no Gurukula (casa do guia ou professor) dos 5 anos até terminar seus estudos à idade de 24 anos, mais ou menos. Como não havia língua escrita, ensinava-se tudo oralmente. Por isso a natureza do que era ensinado e também a transmissão correta de um conhecimento em particular dependiam
completamente do guru. Deste modo, por causa de professores inferiores, o conhecimento estava sendo distorcido e mal interpretado.
Inicialmente, Shiva não desejou que essa informação fosse gravada de forma escrita, mas como os ensinamentos de Tantra estavam perdendo sua pureza e significado originais, decidiu-se que seus ensinamentos deveriam ser gravados. Assim, ante o temor de que se perdesse essa ciência, escreveram-se livros cujos nomes são: Ágama Shastra e Nigama Shastra; o primeiro sobre as teorias e o segundo se refere
às práticas. Porem, isso não impediu a degeneração das práticas. Shiva não desejava que eles fossem escritos por temor que aquilo que fosse escrito pudesse ser mal interpretado, o que geralmente acontece.
Logo as práticas tornaram-se distorcidas, até o aparecimento de Patanjali, uns 4.000 anos depois de Shiva. Ele reorganizou e deu novamente uma forma sistemática às práticas. As práticas e a visão do universo que
ele codificou se chama hoje Rajah Yoga ou Astaunga Yoga – o Yoga dos oito passos.

• A palavra tantra se divide em dois radicais: “tan” e “tra”. “Tan” quer dizer “crueza” e “tra”, “libertar de”.

Tantra então é o que liberta da escravidão da crueza.
Em termos mais simples, isso significa aquele que dá o controle dos instintos ou da mente. O homem, através das praticas de Tantra, controla sua própria atividade e não é por ela controlado.
Tantra é um processo completo, uma maneira de viver. De fato, Shiva criou uma ciência prática, para ajudar em todas as esferas da vida.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Devoção

Quando uma pessoa está estabelecida na devoção, ela torna-se capaz de compreender a grandiosidade e a magnificência da Consciência Suprema. O entendimento nesse momento nasce da experiência real do sentir. Coisas doces, como manga e açúcar, podem ser distinguidas somente atráves do paladar. Não se pode saborear uma manga apenas vendo seu reflexo na água. Deve-se subir na árvore, colher a manga e experimentá-la. Similarmente, a experiência no domínio espiritual também pode ser obtida apenas após subir um degrau na árvore da devoção. Somente então pode-se compreender a efulgência e a grandeza da Entidade Cósmica Transcendental.

("Bhakti Rupa Sentu")
P.R.SARKAR

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Sinfonia das Baleias

A arte de pregar





























terça-feira, 25 de agosto de 2009

Leonardo Boff e Dalai Lama.

Breve diálogo entre o teólogo brasileiro Leonardo Boff e Dalai Lama.

Leonardo Boff explica:

'No intervalo de uma mesa-redonda sobre religião e paz entre os povos, na qual ambos participávamos, eu, maliciosamente, mas também com interesse teológico, lhe perguntei em meu inglês capenga:

- 'Santidade, qual é a melhor religião?'

Esperava que ele dissesse:
'É o budismo tibetano' ou 'São as religiões orientais, muito mais antigas do que o cristianismo.'
O Dalai Lama fez uma pequena pausa, deu um sorriso, me olhou bem nos olhos - o que me desconcertou um pouco, por que eu sabia da malícia contida na pergunta - e afirmou:
'A melhor religião é a que mais te aproxima de Deus.

É aquela que te faz melhor.'
Para sair da perplexidade diante de tão sábia resposta, voltei a perguntar:
- 'O que me faz melhor?'
Respondeu ele:
- 'Aquilo que te faz mais compassivo (e aí senti a ressonância tibetana, budista, taoísta de sua resposta), aquilo que te faz mais sensível,
mais desapegado,
mais amoroso,
mais humanitário,
mais responsável...

A religião que conseguir fazer isso de ti é a melhor religião...'

Calei, maravilhado, e até os dias de hoje estou ruminando sua resposta sábia e irrefutável.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Eu sei quem sou!

"- Eu sei quem sou!
E Deus disse:
- Que bom! Quem és tu?
E a Pequena Alma gritou:
- Eu sou Luz
E Deus sorriu.
- É isso mesmo! - exclamou Deus. - Tu és Luz!

A Pequena Alma ficou muito contente, porque tinha descoberto aquilo que todas as almas do Reimo deveriam descobrir.

- Uauu, isto é mesmo bom! - disse a Pequena Alma.

Mas, passado pouco tempo, saber quem era já não lhe chegava. A pequena Alma sentia-se agitada por dentro, e agora queria ser quem era. Então foi ter com Deus (o que não é má ideia para qualquer alma que queira ser Quem Realmente É) e disse:

- Olá Deus! Agora que sei Quem Sou, posso sê-lo?

E Deus disse:
- Quer dizer que queres ser Quem já És?

- Bem, uma coisa é saber Quem Sou, e outra coisa é s~e-lo mesmo. Quero sentir como é ser a Luz! - respondeu a pequena Alma.

- Mas tu já és Luz - repetiu Deus, sorrindo outra vez.
- Sim, mas quero senti-lo! - gritou a Pequena Alma.

- Bem, acho que já era de esperar. Tu sempre foste aventureira - disse Deus com uma risada. Depois a sua expressão mudou.

- Há só uma coisa...
O quê? - perguntou a Pequena Alma.

- Bem, não há nada para além da Luz. Porque eu não criei nada para além daquilo que tu és; por isso, não vai ser fácil experimentares-te como Quem És, porque não há nada que tu não sejas.

- Hã? - disse a Pequena Alma, que já estava um pouco confusa.

- Pensa assim: tu és como uma vela ao Sol. Estás lá sem dúvida. Tu e mais milhões, ziliões de outras velas que constituem o Sol. E o Sol não seria não seria o Sol sem vocês. "Não seria um sol sem uma das suas velas... e isso não seria de todo o Sol, pois não brilharia tanto. E no entanto, como podes conhecer-te como a Luz quando estás no meio da Luz - eis a questão".

- Bem, tu és Deus. Pensa em alguma coisa! - disse a Pequena Alma mais animada.

Deus sorriu novamente.
- Já pensei. Já que não podes ver-te como a Luz quando estás na Luz, vamos rodear-te de escuridão - disse Deus.

- O que é a escuridão? perguntou a Pequena Alma.
- É aquilo que tu não és - replicou Deus.

- Eu vou ter medo do escuro? - choramingou a Pequena Alma.

- Só se o escolheres. Na verdade não há nada de que devas ter medo, a não ser que assim o decidas. Porque estamos a inventar tudo. Estamos a fingir.

- Ah! - disse a Pequena Alma, sentindo-se logo melhor.

Depois Deus explicou que, para se experimentar o que quer que seja, tem de aparecer exactamente o oposto.

- É uma grande dádiva, porque sem ela não poderíamos saber como nada é - disse Deus - Não poderíamos conhecer o Quente sem o Frio, o Alto sem o Baixo, o Rápido sem o Lento. Não poderíamos conhecer a Esquerda sem a Direita, o Aqui sem o Ali, o Agora sem o Depois. E por isso, - continuou Deus -quando estiveres rodeada de escuridão, não levantes o punho nem a voz para amaldiçoar a escuridão.

"Sê antes uma Luz na escuridão, e não fiques furiosa com ela. Então saberás Quem Realmente És, e os outros também o saberão. Deixa que a tua Luz brilhe tanto que todos saibam como és especial!"

- Então posso deixar que os outros vejam que sou especial? - perguntou a Pequena Alma.

- Claro! - Deus riu-se. - Claro que podes! Mas lembra-te de que "especial" não quer dizer "melhor"! Todos são especiais, cada qual à sua maneira! Só que muitos esqueceram-se disso. Esses apenas vão ver que podem ser especiais quando tu vires que podes ser especial!

- Uau - disse a Pequena Alma, dançando e saltando e rindo e pulando. - Posso ser tão especial quanto quiser!

- Sim, e podes começar agora mesmo - disse Deus, também dançando e saltando e rindo e pulando juntamente com a Pequena Alma - Que parte de especial é que queres ser?

- Que parte de especial? - repetiu a Pequena Alma. - Não estou a perceber.

- Bem, - explicou Deus - ser a Luz é ser especial, e ser especial tem muitas partes. É especial ser bondoso. É especial ser delicado. É especial ser criativo. É especial ser paciente. Conheces alguma outra maneira de ser especial?

A Pequena Alma ficou em silêncio por um momento.

- Conheço imensas maneiras de ser especial! - exclamou a Pequena Alma - É especial ser prestável. É especial ser generoso. É especial ser simpático. É especial ser atencioso com os outros.

- Sim! - concordou Deus - E tu podes ser todas essas coisas, ou qualquer parte de especial que queiras ser, em qualquer momento. É isso que significa ser a Luz.

- Eu sei o que quero ser, eu sei o que quero ser! - proclamou a Pequena Alma com grande entusiasmo. - Quero ser a parte de especial chamada "perdão". Não é ser especial alguém que perdoa?

- Ah, sim, isso é muito especial, assegurou Deus à Pequena Alma.

- Está bem. É isso que eu quero ser. Quero ser alguém que perdoa. Quero experimentar-me assim - disse a Pequena Alma.

- Bom, mas há uma coisa que devias saber - disse Deus.

A Pequena Alma já começava a ficar um bocadinho impaciente. Parecia haver sempre alguma complicação.

- O que é? - suspirou a Pequena Alma.
- Não há ninguém a quem perdoar.

- Ninguém? A Pequena Alma nem queria acreditar no que tinha ouvido.

- Ninguém! - repetiu Deus. Tudo o que Eu fiz é perfeito. Não há uma única alma em toda a Criação menos perfeita do que tu. Olha à tua volta.

Foi então que a Pequena Alma reparou na multidão que se tinha aproximado. Outras almas tinham vindo de todos os lados - de todo o Reino - porque tinham ouvido dizer que a Pequena Alma estava a ter uma conversa extraordinária com Deus, e todas queriam ouvir o que eles estavam a dizer.

Olhando para todas as outras almas ali reunidas, a Pequena Alma teve de concordar. Nenhuma parecia menos maravilhosa, ou menos perfeita do que ela. Eram de tal forma maravilhosas, e a sua Luz brilhava tanto, que a Pequena Alma mal podia olhar para elas.

- Então, perdoar quem? - perguntou Deus.

- Bem, isto não vai ter piada nenhuma! - resmungou a Pequena Alma - Eu queria experimentar-me como Aquela que Perdoa. Queria saber como é ser essa parte de especial.

E a Pequena Alma aprendeu o que é sentir-se triste.

Mas, nesse instante, uma Alma Amiga destacou-se da multidão e disse:
- Não te preocupes, Pequena Alma, eu vou ajudar-te - disse a Alma Amiga.

- Vais? - a Pequena Alma animou-se. - Mas o que é que tu podes fazer?
- Ora, posso dar-te alguém a quem perdoares!

- Podes?
- Claro! - disse a Alma Amiga alegremente. - Posso entrar na tua próxima vida física e fazer qualquer coisa para tu perdoares.

- Mas porquê? Porque é que farias isso? - perguntou a Pequena Alma. - Tu, que és um ser tão absolutamente perfeito! Tu, que vibras a uma velocidade tão rápida a ponto de criar uma Luz de tal forma brilhante que mal posso olhar para ti! O que é que te levaria a abrandar a tua vibração para uma velocidade tal que tornasse a tua Luz brilhante numa luz escura e baça? O que é que te levaria a ti, que danças sobre as estrelas e te moves pelo Reino à velocidade do pensamento, a entrar na minha vida e a tornares-te tão pesada a ponto de fazeres algo de mal?

- É simples - disse a Alma Amiga. - Faço-o porque te amo.

A Pequena Alma pareceu surpreendida com a resposta.

- Não fiques tão espantada - disse a Alma Amiga - tu fizeste o mesmo por mim. Não te lembras? Ah, nós já dançámos juntas, tu e eu, muitas vezes. Dançámos ao longo das eternidades e através de todas as épocas. Brincámos juntas através de todo o tempo e em muitos sítios. Só que tu não te lembras. Já fomos ambas o Todo. Fomos o Alto e o Baixo, a Esquerda e a Direita. Fomos o Aqui e o Ali, o Agora e o Depois. Fomos o Masculino e o Feminino, o Bom e o Mau - fomos ambas a vítima e o vilão. Encontrámo-nos muitas vezes, tu e eu; cada uma trazendo à outra a oportunidade exacta e perfeita para Expressar e Experimentar Quem Realmente Somos.

- E assim, - a Alma Amiga explicou mais um bocadinho - eu vou entrar na tua próxima vida física e ser a "má" desta vez. Vou fazer alguma coisa terrível, e então tu podes experimentar-te como Aquela Que Perdoa.

- Mas o que é que vais fazer que seja assim tão terrível? - perguntou a Pequena Alma, um pouco nervosa.

- Oh, havemos de pensar nalguma coisa - respondeu a Alma Amiga, pisacndo o olho.

Então a Alma Amiga pareceu ficar séria, disse numa voz mais calma:

- Mas tens razão acerca de uma coisa, sabes?
- Sobre o quê? - perguntou a Pequena Alma.

- Eu vou ter de abrandar a minha vibração e tornar-me muito pesada para fazer esta coisa não-muito-boa. Vou ter de fingir ser uma coisa muito diferente de mim. E por isso, só te peço um favor em troca.

- Oh, qualquer coisa, o que tu quiseres! - exclamou a Pequena Alma, e começou a dançar e a cantar: - Eu vou poder perdoar, eu vou poder perdoar!

Então a Pequena Alma viu que a Alma Amiga estava muito quieta.
- O que é? - perguntou a Pequena Alma. - O que é que eu posso fazer por ti? És um anjo por estares disposta a fazer isto por mim!

- Claro que esta Alma Amiga é um anjo! - interrompeu Deus, - são todas! Lembra-te sempre: Não te enviei senão anjos.

E então a Pequena Alma quis mais do que nunca satisfazer o pedido da Alma Amiga.

- O que é que posso fazer por ti? - pergintou novamente a Pequena Alma.

- No momento em que eu te atacar e aingir, - respondeu a Alma Amiga - no momento em que eu te fizer a pior coisa que possas imaginar, nesse preciso momento...

- Sim? - interrompeu a Pequena Alma - Sim?
A Alma Amiga ficou ainda mais quieta.

- Lembra-te de Quem Realmente Sou.
- Oh, não me hei-de esquecer! - gritou a Pequena Alma - Prometo! Lembrar-me-ei sempre de ti tal como te vejo aqui e agora.

- Que bom, - disse a Alma Amiga - porque, sabes, eu vou estar a fingir tanto, que eu própria me vou esquecer. E se tu não te lembrares de mim tal como eu sou realmente, eu posso também não me lembrar durante muito tempo. E se eu me esquecer de Quem Sou, tu podes esquecer-te de Quem És, e ficaremos as duas perdidas. Então, vamos precisar que venha outra alma para nos lembrar às duas Quem Somos.

- Não vamos, não! - prometeu outra vez a Pequena Alma. - Eu vou lembrar-me de ti! E vou agradecer-te por esta dádiva - a oportunidade que me dás de me experimentar como Quem Eu Sou.


E assim o acordo foi feito. E a Pequena Alma avançou para uma nova vida, entusiasmada por ser a Luz, que era muito especial, e entusiasmada por ser aquela parte especial a que se chama Perdão.

E a Pequena Alma esperou ansiosamente pela oportunidade de se experimentar como Perdão, e por agradecer a qualquer outra alma que o tornasse possível.

E, em todos os momentos dessa nova vida, sempre que uma nova alma aparecia em cena, quer essa nova alma trouxesse alegria ou tristeza - principalmente se trouxesse tristeza - a Pequena Alma pensava no que deus lhe tinha dito.

Lembra-te sempre, - Deus aqui tinha sorrido - não te enviei senão anjos.>>"

http://www.universodeluz.net/modules.php?name=News&file=article&sid=819

Curso no Parque Ecológico


Jantar Vegetariano


quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Yoga pela Paz

Em 2009, o Yoga Pela Paz completa a sua quarta edição. Neste ano, os eventos acontecerão em três dias: 14, 15 e 16 de agosto. Além da capital paulista, mais seis estados brasileiros participam simultaneamente do último dia do evento, no domingo: Rio de Janeiro, Curitiba, Brasília, Belo Horizonte, Belém e Manaus.

Em São Paulo, a programação tem início na sexta-feira, dia 14. A Unidade Kansas da Academia Companhia Atlética promove aulas gratuitas de diversas modalidades de yoga, das 8h às 22h.

Já no sábado, o Sesc Pinheiros recebe as atividades. Com eventos gratuitos, como o Yoga para crianças, e outros pagos, os interessados vão se deparar com apresentações musicais e de dança, aulas de yoga, palestras sobre nutrição e outros temas importantes ligados a relação entre o corpo e a mente.

No domingo, dia 16, o gran finale acontece no Parque do Ibirapuera. Com entrada gratuita, os participantes terão apresentações musicais e a meditação coletiva, a partir das 10h15, com transmissão simultânea pela internet para os estados citados no início. Em 2008, o evento reuniu mais de 20 mil pessoas durante os três dias de evento.

Confira a programação completa:

Sexta - Cia Athlética
07:00 - 07:30 Adriana Protti (meditação)
07:30 - 08:30 Adriana Protti (Yoga com mantras)
08:30 - 09:00 Adriana Protti (meditação)
08:30 - 09:30 Andrea Palma (aula Ashtanga Vinyasa Yoga)
09:30 - 10:30 Valéria Rinaldi (retroflexões)
10:00 - 10:30 Simone Fagundes (meditação)
10:30 - 12:00 Simone Fagundes (Yoga - ajustes e correções)
12:30 - 13:45 Analu Matsubara (aula Iyengar Yoga)
13:00 - 14:00 Andrea do Carmo (Hatha Yoga)
14:00 - 15:00 Juliana Benedito (Hatha Yoga e meditação)
15:00 - 16:00 Paulo Cesar (o elogio do corpo)
16:00 - 17:00 Béia / Simone Murai / Ana Maria (Partner Yoga)
17:00 - 18:00 André Majer (Yoga Integrado)
17:30 - 18:00 Paulo Cesar (a arte de respirar)
18:00 - 19:15 Lygia Lima (aula Vinyasa Flow Yoga)
20:00 - 21:15 Maite Alves (aula Iyengar Yoga)
21:30 - 22:00 Agni hotra (ritual do fogo)

Sábado - SESC Pinheiros - Térreo
10:00 - 10:30 Credenciamento
10:30 - 11:30 Pedro Goulart (Yoga gravitacional - praça) - Gratuito
12:00 - 13:00 Pedro Goulart (Yoga gravitacional - praça) - Gratuito
13:30 - 14:30 Pedro Goulart (Yoga gravitacional - praça) - Gratuito
16:00 - 16:45 Apresentação dança indiana (bharatanatyam) - gratuito

Sala 1 (SESC - 7 andar - Onix)
10:30 - 11:15 Prem Baba (meditação)
12:00 - 14:00 Michelline Berry e Shaman´s Dream (aula Vinyasa Flow Yoga)
15:00 - 16:15 Doug Swenson (aula Ashtanga Vinyasa Yoga)
17:00 - 18:15 Gustavo Ponce (aula Sattva Yoga)
19:30 - 21:30 Dr. Frawley (palestra Inner Yoga) Shambhavi Chopra (palestra Tantra Yoga)

Sala 2 (SESC - 4 andar - Mosaico)
11:30 - 12:45 Felipe Amorim (aula Hatha Yoga)
13:00 - 14:00 Naira Prado e Iara Ananda (aula dança Bollywood)
15:30 - 16:45 Kathy Lobos (aula Vinyasa Flow Yoga)
17:30 - 18:45 Matthew Vollmer (Bandhas no Ashtanga Vinyasa Yoga)

Auditório (SESC)
10:30 - 11:15 Paula Ornelas (palestra Yoga e Cultura Indiana)
11:30 - 12:30 Krucis e Edgar Silva (música clássica indiana)
13:15 - 14:15 Silvana Duarte (apresentação dança Odissi)
15:00 - 16:30 Arthur Veríssimo (video Índia Exótica)
17:30 - 18:30 Harbans Arora (palestra Paz na abordagem quântica)

Sala 3 (SESC - 5 andar - Topazio)
15:30 - 16:30 João Soares (aula Yoga para pais e filhos) Yoga com Histórias: aula e contos do Yoga para criança e gente grande - gratuito

Comedoria (SESC - 2 andar)
17:30 - 19:00 Comida de Yogi

Domingo Ibirapuera
9:00 - 9:45 Apresentação musical Ananda Jyothi e Espiritualistas
9:45 - 10:15 Abertura Fran Abreu e Márcia De Luca
10:15 - 11:00 Yoga com Regina Shakti
11:00 - 11:20 Meditação coletiva
11:20 - 12:00 Apresentação musical Maha Bandha (participação Shaman´s Dream)
12:00 - 13:00 Apresentação musical Shaman´s Dream e DJ Drez

Foto: Divulgação.

INFORMAÇÕES


Local: Parque do Ibirapuera (INFORMAÇÕES)
Preço(s): Grátis.
Data(s): De 14 a 16 de agosto de 2009.
Horário(s): Sexta, 08h às 22h; Sábado, 10h às 19h; Domingo, 09h às 13h.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Saúde


“O segredo da saúde, mental e corporal, está em não se lamentar pelo passado, não se preocupar com o futuro, nem se adiantar aos problemas, mas viver sabia e seriamente o presente.” -Buda-
REPASSANDO,
CONVITE

Namaskar queridos amigos!

Esse é um convite único e imperdível de viajarmos para a Índia e Nepal em uma oportunidade incomparável! Finalmente, chegou a hora de você deixar de ficar adiando essa viagem e aproveitar uma grande chance.

Faz tempo que você esteve adiando essa viagem? Acredite, você pode.

Esta viagem está saindo menos do que a metade preço de qualquer agência. São 35 dias por apenas US$ 1.950,00. De 26 de dezembro à 30 de janeiro, época das férias.

Pela primeira vez, teremos essa oportunidade em dezembro, para as pessoas que não podiam tirar férias no mês de outubro, durante o retiro do Mahaprayana.

A visão desta viagem não é comercial, e sim proporcionar uma incrível experiência para todos que dela participarem. E também, é claro, estarmos sintonizados em uma frequência mais sutil, espiritual, que viemos desenvolvendo nesses últimos anos. Culminando finalmente com a vontade e realização de conhecer o Oriente.

Já fazem vários anos que formamos grupos de amigos espirituais, e também amigos do Parque, criando experiências incríveis. Viajar à Índia é sempre uma experiência fantástica! Mas este ano, realmente, uma oportunidade. Vimukta esta organizando esta viagem de forma muito econômica, com todos os detalhes e com muito amor. Realmente, oportunidade única!


Aos interessados, segue abaixo os detalhes do roteiro. 35 dias conhecendo a Índia e o Nepal, seus principais locais históricos, montanhas, templos e misticismo.

Não perca tempo, faça sua decisão e nos envie sua mensagem o mais rapido. Quanto antes fecharmos o grupo, teremos também as melhores tarifas para as passagens aéreas.

Resumo da programação da viagem:
Maiores detalhes:


ÍNDIA – Grupo Magia da Índia e Nepal

Dados Gerais

Região: Ásia

Destinos: Índia e Nepal

Saída: 26 de dezembro de 2009

Cidades visitadas: Delhi- Rishkesh- Jaipur – Udaipur - Agra- Varanasi – Bodhigaya – Pokhara-Chitwan-Katmandu

Duração: 35 dias

Introdução

Uma peregrinação à lugares sagrados, uma aproximação intensa à cultura e espiritualidade dos lugares visitados. Confluência de rios sagrados: Rishkesh, às margens liímpidas do Ganges, Capital Mundial do Yoga e Varanasi, ícone do hiduísmo no mundo – transbordante riqueza cultural. Conhecendo também o Triângulo Dourado: Delhi, Jaipur, Agra- Taj Mahal! Udaipur, cidade ancestral. Pokhara, paraíso aos pés dos Himalaias. E o Parque Nacional de Chitwan, passeios de elefante, além da cidade ancestral de Katmandu. Paisagens da Índia e Nepal, templos, montanhas, palácios e muito mais, uma viagem inesquecível!


Itinerário Resumido

Dia 1 - São Paulo - Europa

Dia 2 – Europa – Delhi

Dia 3 – Delhi

Dia 4 – Rishikesh

Dia 5 – Rishikesh

Dia 6 – Rishikesh

Dia 7 – Rishikesh

Dia 8 - Udaipur

Dia 9 - Udaipur

Dia 10 - Udaipur

Dia 11 - Jaipur

Dia 12 – Jaipur

Dia 13 – Agra

Dia 14 – Agra

Dia 15 - Bodhigaya

Dia 16 – Bodhigaya

Dia 17- Varanasi

Dia 18 - Varanasi

Dia 19 – Varanasi

Dia 20 - Varanasi-Sonauli

Dia 21 - Pokhara

Dia 22 – Pokhara

Dia 23 - Pokhara

Dia 24 - Pokhara

Dia 25 - Bandipur

Dia 26 - Bandipur

Dia 27 – Chitwan

Dia 28 - Chitwan

Dia 29 – Katmandu

Dia 30 - Katmandu

Dia 31 – Katmandu

Dia 32 – Katmandu -Delhi

Dia 33 - Delhi

Dia 34 – Embarque para o Brasil

Dia 35 – Chegada em São Paulo

Preço

PREÇO PASSAGEM INTERNACIONAL
– São Paulo/Delhi/São Paulo
Air France *US$ 1930,00 (dependendo da data do fechamento e tarifas promocionais, podendo ser parcelada em até 3x no cartão)
+ US$ 250,00 ( Katmandu-Delhi) + US$ 350,00 (opcional: Varanasi- Katmandu-Pokhara) , opcional via aerea ou terrestre ***a viagem Varanasi-Pokhara, no roteiro via terrestre esta incluida.
Reservas: 50% até 45 dias anterior à viagem e restante no dia de chegada, em Delhi.

PREÇOS PARTE TERRESTRE POR PESSOA
Preço de 10 ou mais passageiros:
à vista: US$ 1950,00
* Preço baseado nos hotéis e pousadas do roteiro. Sujeito a mudanças na impossibilidade de quartos disponíveis nos mesmos até a data de um mês anterior a viagem.
** O preço da parte terrestre será recalculado em caso de menos de 06 passageiros.

Namastour
serconsciente@terra.com.br
www. namastour.com

Introdução a Meditação


Começa amanhã dia 04/08 uma nova turma.
Clique no cartaz para Ampliar.

Informações e Inscrições
Contos e Encontros Livraria
Av. Salles Gomes, 161 - Centro - Tatuí-SP
CEP 18270-690Fone: (15) 3305-4986
Fax: (15) 3305-5329
E-mail: falecom@contoseencontros.com.br