quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Projeto piloto do FIB no Brasil



sábado, 23 de janeiro de 2010

Ioga reduz sentença de prisioneiros

Do site da BBC


Prisioneiros no Estado indiano de Madhya Pradesh estão sendo libertados mais cedo se completarem cursos de ioga.

Para cada cem dias praticando a técnica - que envolve exercícios de postura, equilíbrio e respiração – os detentos recebem uma redução de 36 dias na sentença.

As autoridades dizem que as aulas ajudam a melhorar o autocontrole e reduzir a agressividade dos prisioneiros.

Cerca de quatro mil detentos do Estado estão participando do projeto, e muitos deles acabam virando professores de ioga.

Assista o video aqui

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Naica e os cristais gigantes do México




A mina de Naica no México é conhecida pelos seus cristais extraordinários. Em grutas gigantes os exploradores encontraram cristais de selenite com um metro de diâmetro e quinze metros de comprimento. Conhecida como a Gruta dos Cristais Gigantes, encontra-se a 305 metros de profundidade. Os cristais são resultado da emanação hidrotérmica das camadas magmáticas inferiores.

Nesta época em que poucos acontecimentos nos assombram, a natureza nos brinda com uma extraordinária e única oportunidade para admirar, conhecer e proteger, um local excepcional, uma maravilha única de nosso planeta por sua grande beleza, valor geológico e científico: as Grutas de Naica, localizadas numa área de exploração Mineral, no estado de Chihuahua ao norte de México.

Essas grutas, com temperatura de até 60° C e umidade de 100%, o berço dos cristais gigantes! Uma floresta de cristais, os maiores do Planeta. Um lugar além da imaginação, além de qualquer sonho...

Cristais naturais, os maiores da terra, foram descobertos em duas cavernas de uma mina da prata e zinco, em Naica, estado de Chihuahua, México. Alcançando comprimentos de até 14 metros, os cristais facetados são composto de selenita, um tipo de gesso translúcido, cristalino.

Os maiores cristais de Selenita do mundo!

Uma das maiores jazidas de zinco e prata do mundo, as minas de Naica, no México, está trabalhando para que os seus cristais extraordinários sejam conhecidos. Nelas, existem grandes câmaras a vácuo, onde foram encontrados cristais de selenita (gypsum) gigantes, medindo de 3 a 4 metros de diâmetro e de 11 a 14 metros de altura. A câmara que abriga estes cristais ficou conhecida como "A Gruta dos Cristais Gigantes" e localiza-se aproximadamente a 290 metros abaixo da rocha de pedra calcária da mina. Os cristais foram formados pelos líquidos hidrotermais que emanaram das câmaras de magma abaixo. A caverna foi descoberta quando os mineiros estavam perfurando a falha de Naica, preocupados que a mina fosse inundada. "A Gruta das Espadas" é uma outra câmara na mina de Naica, contendo cristais similares.

Em abril de 2000, os irmãos Eloy e Javier Delgado encontraram o que peritos acreditam ser os maiores cristais do mundo, ao explodirem um novo túnel, a quase 300 metros abaixo da mina de prata de Naica, em Chihuahua do sul. Eloy, que tem quarenta anos de idade, escalou uma pequena abertura entre as rochas, até atingir a caverna, bloqueada com cristais imensos!

"Era bonito, como a luz refletida por um espelho quebrado", disse ele.

"A visão dos cristais translúcidos entrelaçados uns sobre os outros, era fantástica! Como se estivessem ali apenas aguardando que lhe examinassem o peso e a substância". Um mês depois, uma outra equipe de mineiros de Naica, encontrou uma caverna maior, ao lado da primeira.

Os maiores cristais foram encontrados na “Gruta das Espadas", que faz parte do sistema de cavernas da mesma mina. Alguns deles estão agora em exposição na instituição Smithsonian.

Segundo Fisher, os proprietários da mina e o governo local, esperam evitar a remoção de peças dessa descoberta, para exposições em museus ou coleções particulares.

Atualmente, a companhia de mineração limitou a visitação das cavernas aos peritos e cientistas. Caçadores de minerais destruíram passagens e quebraram as câmaras por duas vezes, desde que foram descobertas. Além do calor, o ambiente é perigoso. De acordo com o Fisher, um minerador tentava levar um cristal gigantesco para fora, quando um outro caiu e o matou.

Quando a extração dos minérios de Naica já não for viável, a mina será fechada e as cavernas serão submergidas - e os cristais começarão a crescer outra vez.

A cidade de Chihuahua é a capital do estado mexicano de Chihuahua, com uma população de aproximadamente 748.551. A atividade predominante é a industrial.

A mina de Naica encontra-se a 100km ao N.E.

Chihuahua, México, lar de duas cavernas quentes que contêm os maiores cristais naturais do mundo... O primeiro cristal de selenita retirado da caverna para estudos, tem 11 metros de comprimento e pesa 55 toneladas.


A ciência explica

Os cientistas acreditam poder explicar a razão pela qual os cristais de gesso encontrados perto da cidade de Chihuahua, no norte do México, chegam a alcançar mais de 11 metros de altura.

Analisaram pequenas quantidades de fluido contido nos cristais e descobriram que a solução se manteve durante muito tempo dentro de uma faixa de temperaturas muito estreita e estável. As duas grutas estudadas - dos Cristais e das Espadas - encontram-se no complexo mineiro de Naica, um dos mais importantes depósitos de prata e chumbo do planeta.

Com 290 metros de profundidade, a gruta dos Cristais exibe estruturas que chegam a medir mais de 11 metros de altura. Descoberta no ano 2000, a cavidade é uma das maravilhas naturais do México. Já a gruta das Espadas, descoberta em 1912, encravada a 120 metros de profundidade, tem um volume maior de cristais, mas as estruturas chegam a apenas um metro de altura. As conclusões da pesquisa foram publicadas na revista científica "Geology".

As estruturas são compostas por sulfato de cálcio hidratado, geralmente quebradiço e de cor branca, formado junto com outros minérios há mais de 20 milhões de anos, resultantes da actividade vulcânica.

Por causa de fluidos quentes injectados nas cavidades das rochas, este sulfato tomou a forma de anidrite, que tem a mesma fórmula química do gesso, mas sem água. Quando a camada profunda de magma sob a montanha de Naica arrefeceu, a temperatura dos fluidos baixou a um ponto que permitiu à anidrite converter - se em gesso.

Como a gruta dos Cristais está a uma profundidade maior que a das Espadas, a temperatura manteve -se apenas um pouco abaixo da temperatura de transição por centenas de milhares de anos. "As condições eram perfeitas. Se a temperatura se mantém a pouco menos de 58 ºC durante muito tempo, formam-se cristais muito grandes", disse um dos pesquisadores, Juan Manuel García Ruiz, da Universidade de Granada, em Espanha.

Já na gruta das Espadas, a temperatura caiu abaixo do ponto de transição com muita rapidez, o que gerou mais cristais, mas de um tamanho menor. O gesso cristalizado toma a forma de selenite, conhecida por sua transparência.

Veja mais

sábado, 9 de janeiro de 2010

2012: entrada no Cinturão de fótons.


O sistema solar gira em torno de Alcione, estrela central da constelação de Plêiades. Esta foi a conclusão dos astrônomos Freidrich Wilhelm Bessel, Paul Otto Hesse, José Comas Solá e Edmund Halley, depois de estudos e cálculos minuciosos.

Nosso Sol é, portanto, a oitava estrela da constelação – localizada a aproximadamente 28 graus de Touro, e leva 26 mil anos para completar uma órbita ao redor de Alcione, movimento terrestre também conhecido como Precessão dos Equinócios. A divisão desta órbita por doze resulta em 2.160, tempo de duração de cada era “astrológica” (Era de Peixes, de Aquário, etc).

Descobriu-se também que Alcione tem à sua volta um gigantesco anel, ou disco de radiação, em posição transversal ao plano das órbitas de seus sistemas (incluindo o nosso), que foi chamado de Cinturão de Fótons. Um fóton consiste na decomposição ou divisão do elétron, sendo a mais ínfima partícula de energia eletromagnética, algo que ainda se desconhece na Terra.

Detectado pela primeira vez em 1961, através de satélites, a descoberta do cinturão de fótonsmarca o início de uma expansão de consciência além da terceira dimensão. A ida do homem à Lua nos anos 60 simbolizou esta expansão, já que antes das viagens interplanetárias era impossível perceber o cinturão.

A cada dez mil anos o Sistema Solar penetra por dois mil anos no anel de fótons, ficando mais próximo de Alcione. A última vez que a Terra passou por ele foi durante a ”Era de Leão”, há cerca de doze mil anos. Na Era de Aquário, que está se iniciando, ficaremos outros dois mil anos dentro deste disco de radiação.

Todas as moléculas e átomos de nosso planeta passam por uma transformação sob a influência dos fótons, precisando se readaptar a novos parâmetros. A excitação molecular cria um tipo de luz constante, permanente, que não é quente,uma luz sem temperatura, que não produz sombra ou escuridão. Talvez por isso os hinduístas chamem de ”Era da Luz” os tempos que estão por vir.

Desde 1972, o Sistema Solar vem entrando no cinturão de fótons e em 1998 a sua metade já estará dentro dele. A Terra começou a penetrá-lo em 1987 e está gradativamente avançando, até 2.012, quando vai estar totalmente imersa em sua luz.

De acordo com as cosmologias maia e asteca, 2.012 é o final de um ciclo de 104 mil anos, composto de quatro grandes ciclos maias e de quatro grandes eras astecas. Humbatz Men, autor de origem maia, fala em “Los Calendários” sobre a vindoura “Idade Luz”. Bárbara Marciniak, autora de ”Mensageiros do Amanhecer”, da Ground e “Earth”, da The Bear and Company e a astróloga Bárbara Hand Clow, que escreveu “A Agenda Pleiadiana”, da editora Madras, receberam várias canalizações de seres pleiadianos. Essas revelações falam sobre as transformações que estão ocorrendo em nosso planeta e nas preparações tanto física quanto psíquicas que precisamos nos submeter para realizarmos uma mudança dimensional. Segundo as canalizações, as respostas sobre a vida e a morte não estão mais sendo encontradas na terceira dimensão.

Um novo campo de percepção está disponívelpara aqueles que aprenderem a ver as coisas de uma outra forma. Desde a década de oitenta, quando a Terracomeçou a entrar no Cinturão de Fótons, estamos nos sintonizando com a quarta dimensão e nos preparando para receber a radiação de Alcione, estrela de quinta dimensão.

Zona arquetípica de sentimentos e sonhos, onde é possível o contato com planos mais elevados, a quarta dimensão é emocional e não física. As idéias nela geradas influenciam e detonam os acontecimentos na terceira dimensão, plano da materialização. Segundo as canalizações, a esfera quadri-dimensional é regida pelas energias planetárias de nosso sistema solar, daí um trânsito de Marte, por exemplo, causar sentimentos de poder e ira.

Para realizar esta expansão de consciência é preciso fazer uma limpeza, tanto no corpo físico como no emocional, e transmutar os elementais da segunda dimensão a nós agregados, chamados de miasmas. Responsáveis pelas doenças em nosso organismo, os miasmas são compostos de massas etéricas que carregam memórias genéticas ou de vidas passadas, memórias de doenças que ficaram encruadas e impregnadas devido a antibióticos, poluição, química ou radioatividade. Segundo as canalizações, esses miasmas estão sendo intensamente ativados pelo Cinturão de Fótons. Os pensamentos negativos e os estados de turbulência, como o da raiva, também geram miasmas, que provocam bloqueios energéticos em nosso organismo.

Trabalhar o corpo emocional através de diversos métodos terapêuticos – psicológicos, astrológicos ou corporais – ajuda a liberar as energias bloqueadas. A massagem, acupuntura, homeopatia, florais, meditação, yoga, o tai-chi, algumas danças, etc,são também técnicas de grande efetividade,pois mexem com o corpo sutil e abrem os canais de comunicação com outros planos universais.

As conexões interdimensionais são feitas através de ressonância e para sobrevivermos na radiação fotônica temos que nos afinar a um novo campo vibratório. Ter uma alimentação natural isenta de elementos químicos, viver junto à natureza, longe da poluição e da radiatividade, liberar as emoções bloqueadas e reprimidas, contribuem para a transição. Ter boas intenções é essencial, assim como estar em estado de alerta para perceber as sincronicidades e captar os sinais vindos de outras esferas.

Segundo a Agenda Pleiadiana, de Bárbara Hand Clow, o Cinturão de Fótons emana do Centro Galáctico. Alcione, o Sol Central das Plêiades, localiza-se eternamente dentro do Cinturão de Fótons,ativando sua luz espiralada por todo o Universo.

Mas afinal e nós nisso tudo? Nós somos os mais beneficiados com tudo isso.
Todos nós, os seres encarnados na Terra estamos passando por um processo de iniciação coletiva e escolhemos estar aqui nessa difícil época de transição de nosso planeta, que atingirá todo o Universo. Os fótons funcionam como purificadores da raça humana e através de suas partículas de luz, às quais estamos expostos nos raios solares, dentro em breve estaremos imersos nesta “Era de Luz”, depois de 11 mil anos dentro da Noite Galáctica ou Idade das Trevas, como os hindus se referiam a Kali Yuga.

Como um sistema de reciclagem do Universo, o Cinturão de Fótons inicia a Era da Luz. Existem diversas formas da humanidade intensificar sua evolução, desenvolvendo um trabalho de limpeza dos corpos emocionais, com o uso de terapias alternativas, como florais, Yoga, Sahaja Maithuna, musicoterapia, cromoterapia entre muitos outros. São terapias e práticas que trabalham com acura dos corpos sutis, evitando que muitas doenças sejam desenvolvidas antes mesmo de alcançar o corpo físico, além de curar outras já instaladas. Cada partícula vai se alojando em todos os cantinhos de nosso planeta trazendo a consciência (Luz), a Verdade, a Integridade e o Amor Mútuo. Cada um de nós tem um trabalho individual para desenvolver aliado ao trabalho de conscientização da humanidade.

Os corpos que não refinarem suas energias não conseguirão ficar encarnados dentro da terceira dimensão, pois a quarta dimensão estará instalada. E todos nós redescobriremos a nossa multidimensionalidade e ativaremos nossas capacidades adormecidas dentro da Noite Galáctica. A inteligência da Terra será catalizada para toda a Via Láctea.

Todos estes acontecimentos foram registrados no Grande Calendário Maia, que tem 26 mil anos de duração e termina no solstício de inverno, no dia 21 de dezembro de 2012 d.C. , que marca a entrada definitiva da Terra dentro do Cinturão de Fótons por 2000 anos ininterruptos.

Texto de autoria desconhecida que circula na internet .

Upavása

Trechos do livro de Shrii Shrii Anandamurti sobre Shiva Namah Shivaya Shantaya, cap. 14

Na muktirtapanádhomádupavásashataerapi;
Brahmaeváhamiti jiňátvá mukto bhavati dehabhrt.

[A liberação não pode ser alcançada através de penitências, rituais de sacrifícios e centenas de jejuns. Os seres vivos alcançam liberação quanto realizam “Eu sou Brahma.”]


Aqueles que pensam que árduas penitências irão merecer a afeição de Parama Puruśa estão redondamente enganados. Eles tentam alcançar alguma coisa, mas falham miseravelmente. Parama Puruśa jamais disse, e jamais vai dizer, que alguém deveria violar a naturalidade da vida e tornar-se anormal, como um idiota vegetativo. Ao invés disso, Ele diz: “Cantem todos em uníssono – dirijam todos os seus anseios internos na direção do Supremo. Pensem em todas as dores e prazeres dos outros como sendo seus. Saḿgacchadhvaḿ saḿvadadhvaḿ saḿ vo manáḿsi jánat́am.”


De fato existe uma referência a tapah em Yama e Niyama [código moral], mas significando: “aceitar adversidades físicas pelo bem-estar dos outros”. Na verdade, a grandeza de uma pessoa está no grau em que ela é capaz de aceitar adversidades em favor do bem-estar dos outros. Mortais ordinários atingem a elevação da glória espiritual dessa forma. Essa tapah promove a pureza física e mental, e conduz à expansão mental e ao progresso espiritual; ela ajuda a abrir o portão dourado que leva à salvação espiritual. Por isso é que foi corretamente dito: “Penitências infrutíferas jamais levam à liberação.”


A palavra upavása é derivada de: upa (prefixo) – vas (verbo raiz) + ghaiň (sufixo). Upa significa “próximo”: por exemplo, upanagarii (“subúrbio” – “próximo de uma cidade”), upadevatá (“semi-deus” – “próximo de um deus”) etc.[1]


Como é que as pessoas deveriam se comportar no mundo? A única meta da vida é a prática espiritual – a realização do Supremo. Mas o corpo, composto dos cinco fatores fundamentais, e a mente, que está relacionada com o corpo, existem neste mundo físico. Portanto, a prática espiritual não pode ser mantida ignorando-se este mundo físico. As pessoas terão de levar suas vidas de tal modo que as suas tarefas mundanas sejam apropriadamente desempenhadas sem perturbar a prática espiritual, que é o objetivo primário da vida. Por isso, as pessoas terão de continuar sua prática espiritual como missão primária da vida, e ao mesmo tempo cumprirem suas responsabilidades mundanas, considerando que foram atribuídas por Deus.


Mas a psicologia humana é tal que, após desempenharem suas tarefas mundanas por um pouco, as pessoas desviam-se da meta principal da vida, algumas vezes tanto que elas tendem a olhar para as suas tarefas mundanas apenas como meios de auto-engrandecimento. Este é o momento da queda delas – a negra cortina da aniquilação total cai sobre as suas vidas.


Então, qual é a solução? Em dias ordinários as pessoas continuam a prática espiritual delas como sendo a missão delas na vida, e ao mesmo tempo cumprem suas tarefas mundanas, considerando que foram atribuídas por Deus. Mas em certos dias especiais (os dias devem ser determinados de acordo com o calendário, para que as pessoas não se esqueçam deles), as pessoas deveriam dar maior importância à prática espiritual do que às responsabilidades mundanas; ou seja, o tempo e energia delas, nesses dias, deveriam ser dedicados mais à prática espiritual do que às atividades mundanas. Esses dias determinados são chamados de dias de upavása, já que durante esses dias as pessoas, mantendo suas mentes envolvidas em assuntos espirituais, “vivem mais próximas” de Deus, e qualquer possibilidade de degradação mental é evitada: a humanidade delas não é colocada em risco pelas sombras da aniquilação que se espalham.[2]


Mas com o decorrer do tempo, o dogma esgueirou-se também para dentro deste conceito de jejum.[3] Algumas pessoas começaram a argumentar que o sistema de jejum é um meio para desenvolver-se a virtude: aqueles que realizam jejum provavelmente irão garantir um lugar permanente no céu, e poderão até mesmo ver os netos dos seus netos antes de morrerem! Além disso, foi dada uma importância indevida a uns poucos dias específicos de jejum – se as pessoas conseguissem jejuar nesses dias específicos, assim foi dito, elas iriam alcançar a bem-aventurança celestial, não apenas por uma vida mas por muitas vidas.


Portanto, vocês vêem que foi criado um monte de confusão com relação a esse assunto de upavása, ou jejum. Com a difusão desses dogmas, a própria dignidade de upavása foi destruída. Na verdade, jejuar mantém o corpo livre de doenças, puro e dinâmico, e torna a mente um campo fértil para a sádhaná, através da remoção das suas impurezas – mas uma pessoa certamente não atinge a virtude ou a liberação desse jeito.


Aqueles que realizam um jejum com o propósito de obterem virtude ou a salvação espiritual estão desnecessariamente criando problemas para si mesmos; não há benefício para os indivíduos ou para a sociedade. O jejum deve ser feito, mas fazer jejum com o próprio de alcançar a liberação é simplesmente jogar combustível na fogo.


Foi dito que os seres mortais podem aspirar à salvação através de penitências severas. Mas não se pode atingir a liberação oferecendo manteiga clarificada, arroz, trigo ou sangue animal no fogo de sacrifício. Do mesmo modo, não se pode atingir a liberação fazendo centenas de jejuns com a falsa esperança de que upavása irá propiciar virtude.


Então, qual é a solução? Os seres humanos mortais podem atingir a liberação somente se canalizarem todas as suas tendências psíquicas, todas as suas ondas de pensamento, em direção ao Supremo – e então o fluxo dinâmico das suas mentes, concentrado em um ponto único, torna-se uno com a Cognição Suprema, muito além do escopo de todas as amarras.


Mas os seres humanos não podem dar um passo sequer em direção a Parama Puruśa, muito menos alcançar a liberação ou a salvação, estudando inumeráveis escrituras, praticando penitências rigorosas sem fim, oferecendo inumeráveis combustíveis aos fogos de sacrifício ou fazendo jejuns por ganância de obter virtude.

--------------------------------------------------------------------------------

[1] N.T. original – E vas significa “viver”. O autor prossegue discutindo práticas que ajudam e que não ajudam uma pessoa a “viver próximo” de Deus.

[2] N.T. original – Como o jejum era costumeiramente realizado nesses dias, “jejum” tornou-se parte do significado de upavása. [Através de uma figura de linguagem, metonímia ou perífrase.]

[3] N.T. – Veja-se a nota anterior.

Trecho extraído por Mahesh.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Eventos no Instituto Visão Futuro em Porangaba

02 opções para o início de 2010.







segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Serviço




“Em tudo que fizer, use toda a força e talento com o qual você é dotado, falando e agindo com sinceridade. No início você pode falhar nisso e pode encontrar dificuldades e sofrimento. Mas, ao final, você está fadado a ter sucesso e conseguir vitória e bem-aventurança. Cada um de vocês deve prestar atenção constante aos seus hábitos e aos aspectos do seu caráter. Lembre-se sempre da máxima: "somente a Verdade triunfa" (Sathyameva Jayate). Através de seu comportamento, de seu modo de vida, você pode perceber a Verdade e o Ser Eterno (Paramatma).”

Sathya Sai Baba