quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Volte a vida!!

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

terça-feira, 4 de outubro de 2011

No centro sentimos leveza

‎""Alguém perguntou a um velho mestre: "Como você consegue ajudar outras pessoas? Elas frequentemente o procuram e lhe pedem conselho em assuntos que você mal conhece. Apesar disso, sentem-se melhor depois."

O mestre lhe respondeu: "Quando alguém pára no caminho e não quer prosseguir, isso não depende do saber. Ele busca segurança onde é preciso coragem, e quer liberdade onde o certo não lhe deixa escolha. E com isso fica dando voltas.

O mestre, porém, não cede ao pretexto e à aparência. Busca o centro e, recolhido nele, aguarda que uma palavra eficaz o alcance, como o navegador que abre suas velas ao vento. Quando alguém o procura, encontra-o no mesmo lugar aonde ele próprio precisa chegar, e a resposta vale para os dois. Pois ambos são ouvintes."

E o mestre acrescentou: "No centro sentimos leveza.""

Bert Hellinger, "No centro sentimos leveza", Editora Cultrix

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Medite por um momento


Oi pessoal, o video está em inglês, mas muito fácil de entender, vale a pena dar uma olhada.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Super Erva - Dente de leão


Dente-de-leão – erva super nutritiva a um custo mínimo ou nulo - basta olhar para os campos e jardins à sua volta na Primavera para poder ver e colher dente-de-leão em abundância

Esta planta faz as delicias das crianças no Verão que sopram as suas sementes brincando ao jogo “O teu pai é careca?” e ajudando assim a disseminar o dente-de-leão, erva considerada por muitos como uma praga que invade jardins, relvados, matos, beiras de ruas e mesmo perto de praias e rios.

Mas o que muitos parecem não saber é que esta “erva daninha” é uma 
verdadeira super erva, altamente nutritiva e com importantes qualidades medicinais.

Tem sido utilizada desde há séculos, sendo a planta selvagem mais vulgarmente reconhecida. Todos nós temos memória de a ver por todo o lado nos jardins quer vivamos num ambiente urbano ou rural. É abundantemente utilizada e muito apreciada na cozinha de todo o mundo, particularmente na Europa central e mediterrânica, onde facilmente se vêm pessoas nos jardins e matos a colherem esta planta para consumirem em saladas, sumos e chás e também é frequente vê-las a vender em mercados de rua.
Qualidades nutricionais do dente-de-leão: 
O aporte calórico do dente-de-leão é mínimo – 1 chávena tem apenas 25 calorias – enquanto que o seu valor nutricional é extremamente alto. De facto, o dente-de-leão contém mais valor nutritivo que a grande maioria dos outros vegetais. É particularmente rico em vitaminas, minerais, proteínas, inulina e pectina. O seu conteúdo de carotenóides é extremamente elevado, o que se reflecte no seu alto valor em vitamina A (mais alto do que a cenoura). Para além disso, o dente-de-leão é rico em vitamina C, riboflavina, B6 e tiamina, assim como cálcio, potássio, cobre, manganésio e ferro. Uma chávena de taráxaco (nome mais científico da planta) fornece a mesma quantidade de cálcio que ½ de um copo de leite!

Benefícios para a sua saúde:

Os benefícios principais desta planta são exercidos ao nível do fígado; o dente-de-leão tem a capacidade de estimular e ajudar o fígado a eliminar as toxinas do sangue e a desobstruir os canais biliares. Excelente para uma cura primaveril, para limpar os excessos acumulados durante o Inverno.
A extraordinária popularidade do uso do dente-de-leão para fins medicinais está intimamente relacionada com esta sua capacidade de melhorar o trabalho do fígado, comprovadas pela sabedoria popular e por muitas pesquisas científicas feitas um pouco por todo o mundo mas principalmente na Alemanha, onde a planta é vulgarmente utilizada nas preparações culinárias.
O dente-de-leão é também um poderoso diurético. O”Journal of Planta Medica” publicou resultados de uma pesquisa feita em 1974, confirmando que as folhas do dente-de-leão possuem uma acção diurética poderosa no corpo humano, acção esta, estudada e confirmada em muitas outras pesquisas mais recentes. Tradicionalmente, os diuréticos provocam uma perda importante de potássio, o que não acontece com o dente-de-leão, uma vez que esta planta tem um altíssimo teor deste mineral na sua composição.
Para mais informações sobre os valores nutricionais e os benefícios do dente-de-leão, consulte o seu naturopata ou leia alguns dos muitos artigos disponíveis em revistas da especialidade, livros de plantas naturais e na Internet.
Como preparar:
Todas as partes das plantas podem ser utilizadas: folhas, flores e raízes. As folhas são colhidas na Primavera até ao final de Maio; as flores podem ser consumidas quando desabrocham e as raízes podem ser retiradas do solo no Outono e secadas ao sol ou no forno para guardar para o Inverno.

Colha as folhas mal elas começam a despontar; enquanto jovens elas mantêm um sabor mais suave, que se torna mais amargo à medida que crescem e se desenvolvem. Tenha cuidado para não apanhar os dentes-de-leão em locais onde pesticidas possam ter sido utilizados; nós queremos os nutrientes da planta, não os químicos!
As folhas podem ser usadas cruas em saladas, cortadas em pedaços pequenos (o óleo usado dilui o sabor amargo das plantas mais crescidas), em sumos (comece com uma quantidade pequena) ou cozidas como se fossem espinafres. Melhor se comidas cruas, porque mantém assim todos os nutrientes intactos. Adicione dente-de-leão diariamente aos seus preparados culinários na Primavera e repare nas mudanças positivas nos seus níveis de energia, vitalidade e bem-estar.
Uma última nota sobre plantas selvagens: em geral, os alimentos selvagens têm mais nutrientes do que os vulgarmente encontrados nas lojas ou cultivados na nossa horta, mesmo os de qualidade biológica. São intocados pelo homem e não necessitam de qualquer ajuda exterior para crescerem, quer seja de fertilizantes químicos ou naturais. Sem fertilizantes externos, a plantinha vai alimentar-se do que a terra lhe fornece, acumulando assim dentro de si, uma reserva de nutrientes altíssima que depois são passadas à pessoa que a come. Era assim que acontecia antes do advento da agricultura e continua a ser assim em muitas áreas do mundo, onde comunidades tradicionais se alimentam de plantas selvagens diariamente, trazendo enormes benefícios à sua saúde. Se juntarmos a isto, o prazer de colher as plantas, o contacto directo com a natureza, com o alimento que irá para o nosso prato, mais o exercício físico, ar puro, tudo isto faz da colheita de alimentos selvagens uma actividade prazerosa que está ao alcance de todos nós. Bem mais interessante do que passar o domingo no supermercado. E é grátis!

No entanto, se viver num local onde não consegue encontrar dente-de-leão selvagem, poderá cultivá-lo no seu jardim; dá-se muito bem em relvados, quando estes são deixados sem cortar pelo menos 15 dias, dando tempo para as plantas se se desenvolverem o suficiente e serem colhidas com um tamanho razoável.

Salada Deliciosa de Dente-de leão


Ingredientes:

1 punhado de dente-de-leão cortado aos pedaços
1 punhado de outra salada verde à escolha
1 punhado de tomates cereja

Colocar todos os ingredientes numa saladeira e temperar com um molho feito de uma mistura de azeite, molho de soja e limão.

Pode acrescentar outros ingredientes à escolha. Esta receita serve de base para muitas criações deliciosas com o dente-de-leão.

domingo, 28 de agosto de 2011

Jim Carrey - Eckhart Tolle - o Despertar

sábado, 13 de agosto de 2011

Yogin

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Sakal Maner Vina




Translation

Song of sweetness:

The lyres of all minds play to the same tune today.
There is fragrance in all hearts.
You came onto this earth with Your exquisite appearance and gave the same feeling to all.
Do not tear my garland of flowers, my entire wealth of compassion.
Come closer to me, come closer, still closer, take all tha I have.

Music and lyrics: Prabhat Ranjan Sarkar

quarta-feira, 29 de junho de 2011

“PAI, COMEÇA O COMEÇO!”

Quando eu era criança e pegava uma tangerina para descascar, corria para meu pai e pedia: - “pai, começa o começo!”. O que eu queria era que ele fizesse o primeiro rasgo na casca, o mais difícil e resistente para as minhas pequenas mãos. Depois, sorridente, ele sempre acabava descascando toda a fruta para mim. Mas, outras vezes, eu mesmo tirava o restante da casca a partir daquele primeiro rasgo providencial que ele havia feito.
Meu pai faleceu há muito tempo (e há anos, muitos, aliás) não sou mais criança. Mesmo assim, sinto grande desejo de tê-lo ainda ao meu lado para, pelo menos, “começar o começo” de tantas cascas duras que encontro pelo caminho. Hoje, minhas “tangerinas” são outras. Preciso “descascar” as dificuldades do trabalho, os obstáculos dos relacionamentos com amigos, os problemas no núcleo familiar, o esforço diário que é a construção do casamento, os retoques e pinceladas de sabedoria na imensa arte de viabilizar filhos realizados e felizes, ou então, o enfrentamento sempre tão difícil de doenças, perdas, traumas, separações, mortes, dificuldades financeiras e, até mesmo, as dúvidas e conflitos que nos afligem diante de decisões e desafios.
Em certas ocasiões, minhas tangerinas transformam-se em enormes abacaxis......
Lembro-me, então, que a segurança de ser atendido pelo papai quando lhe pedia para “começar o começo” era o que me dava a certeza que conseguiria chegar até ao último pedacinho da casca e saborear a fruta. O carinho e a atenção que eu recebia do meu pai me levaram a pedir ajuda a Deus, meu Pai do Céu, que nunca morre e sempre está ao meu lado. Meu pai terreno me ensinou que Deus, o Pai do Céu, é eterno e que Seu amor é a garantia das nossas vitórias.
Quando a vida parecer muito grossa e difícil, como a casca de uma tangerina para as mãos frágeis de uma criança, lembre-se de pedir a Deus:
“Pai, começa o começo!”. Ele não só “começará o começo”, mas resolverá toda a situação para você.
Não sei que tipo de dificuldade eu e você estamos enfrentando ou encontraremos pela frente neste ano. Sei apenas que vou me garantir no Amor Eterno de Deus para pedir, sempre que for preciso: “Pai, começa o começo!”.

Autor desconhecido

segunda-feira, 20 de junho de 2011

O que é meditação?

quarta-feira, 8 de junho de 2011

A Herança Universal



Matias De Stefano, Argentino, 22 anos
Sites de Matias De Stefano: www.ghan.com.ar www.educacionprohibida.com
Vídeo original YouTube acc: 21Davicinho 





Um video muito leve e claro sobre as questões que aflingem a todos, recomendadíssimo zenporcentozen!

terça-feira, 7 de junho de 2011

QUANDO ME AMEI DE VERDADE - Charles Chaplin


Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato. E, então pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome...AUTOESTIMA

Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia e meu sofrimento emocional, não passam de um sinal que estou indo contra os meus valores.
Hoje sei que isso é ... AUTENTICIDADE

Quando me amei de verdade, parei de desejar que minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de... AMADURECIMENTO

Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo forçar alguma situação ou alguém, inclusive a mim mesmo, somente para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou que a pessoa não está preparada.
Hoje sei que o nome disso é...RESPEITO

Quando me amei de verdade, comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável...Pessoas, tarefas e toda e qualquer coisa que me pusesse para baixo. Inicialmente, minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que isso se chama...AMOR PRÓPRIO

Quando me amei de verdade, deixei de temer meu tempo livre, desisti de fazer grandes planos e abandonei os projetos megalômanos para o futuro. Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é...SIMPLICIDADE

Quando me amei de verdade, desisti de querer ter sempre razão e, dessa maneira, errei menos.
Hoje descobri a...HUMILDADE

Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de me preocupar com o futuro. Agora mantenho-me no presente, que é onde a vida acontece. Hoje vivo um dia de cada vez.
Isso é...PLENITUDE

Quando me amei de verdade, percebi que a minha mente pode atormentar-me e decepcionar-me. Mas, quando coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é...SABER VIVER

Todo o poder da ioga - ISTOÉ

http://www.istoe.com.br/reportagens/140391_TODO+O+PODER+DA+IOGA?sms_ss=mailto&at_xt=4ded8a972b070fe5,1

A técnica ganha o respeito da medicina e é usada para ajudar no tratamento de câncer, obesidade, dor crônica e doenças cardíacas, respiratórias e psiquiátricas.


Nesta semana, o mundo acompanha, como de costume, as novidades divulgadas durante o congresso da Sociedade Americana de Oncologia Clínica, conhecido como Asco, o maior e mais importante encontro mundial sobre câncer. Neste ano, entre os destaques mostrados no centro de convenções, em Chicago, um, especialmente, chama a atenção não só pela importância de seus resultados como também pelo simbolismo que carrega. Pesquisadores do MD Anderson Cancer Center – uma das principais instituições do planeta para o tratamento da doença – apresentarão um trabalho no qual relatam como a ioga ajuda a tratar o câncer.

No estudo, realizado com portadoras de tumor de mama submetidas a sessões de radioterapia, ficou comprovado que o método, além de reduzir os níveis de cortisol (hormônio liberado em situações de estresse), melhora o funcionamento do corpo em geral. Entre outros ganhos, as participantes demonstraram maior capacidade de execução de tarefas cotidianas, mas difíceis de ser efetuadas por causa da doença, como subir escadas ou dar uma volta no quarteirão. Também sentiram menos cansaço, dormiam melhor e ainda encontraram uma forma menos doída de lidar com seu drama particular. “Elas dão mais foco à espiritualidade, na conexão consigo mesmas e com as outras pessoas”, disse à ISTOÉ Lorenzo Cohen, diretor do Programa de Medicina Integrativa do MD Anderson e responsável pela pesquisa. “Dessa maneira, fica mais fácil perceber o que realmente precisam e como alcançar essa meta.”

Veja a matéria toda no link.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

ENTREGA

O Senhor Krisna diz: “Minha Máyá, a força que cria confusões e distinções é muito poderosa; ela é insuperável pelas mentes individuais. Mas aqueles que se entregam a Mim transcendem essas minhas forças com Minha ajuda”.

Se Máyá é mais poderosa que os seres individuais, permanecerão os filhos de Deus escravos dessa força para sempre? Não há esperança alguma? Essa situação não é apropriada nem a Deus nem a Seus Filhos.

O segredo está na palavra “Minha”. “ Essa força cegante , Máyá, é Minha; eu a usei para o jogo de Minha criação. Sendo Minha, está dentro do Meu controle arrebata-la de todos ou de qualquer um”, diz o Senhor. “Por isso, aqueles que se entregam a Mim podem facilmente sobrepujar essa força.”

Mas, Qual é a maneira correta para uma entrega? Oração? Pedir isso e aquilo a Deus? Ora, a responsabilidade pelo que você pede é sua – você pode pedir alguma coisa muito inferior, embora você se dirija ao Todo Poderoso para isso. A melhor oração é, portanto:” Ó Senhor! Fazes o que achares apropriado e melhor para mim. Eu não sei onde está o que me é adequando – Tu o sabes.”

Havia um demônio que suplicava para não morrer nem durante o dia nem durante a noite.

Deus lhe concedeu isso e ele foi morto ao pôr do sol. Não seja tolo assim. Enquanto você estiver suplicando, você não está se entregando, pois você está pedindo alguma coisa para si mesmo.

Deus pode remover Máyá de todos, de uma só vez. Ele tem poder para faze-lo. Mas isso acabará com toda Sua Liila ( jogo) e com esse drama da criação. Portanto, ele a remove de indivíduos e não de toda coletividade.

Para o bem da sociedade humana, os sádhakas contarão também aos outros sobre o método dessa entrega e os farão homens e mulheres de Deus. O progresso individual depende do ambiente social também, e por isso, há necessidade de prácar ( propagação espiritual)

Tanto a sádhana como o sucesso estão facilmente a seu alcance.

O resultado já está assegurado por mim; eu os darei a vocês no momento apropriado. Não se preocupem com isso.

Seja você pecador ou virtuoso, os que vêm ao Senhor são todos um para Ele. Ele não faz distinções. Todos serão libertados.

Vocês todos são meus filhos e filhas queridos. Às vezes aparento ser severo para alguns. Mas isto é por amor. Se eu fosse indiferente, não haveria necessidade de repreensão ou castigo.

Eu quero ver todos vocês rindo. Dá-me grande prazer vê-los rindo.

Deixem todas as preocupações para mim.

Sejam abençoados.



Shrii Shrii Ánandamúrtijii

terça-feira, 17 de maio de 2011

Inspiração

terça-feira, 10 de maio de 2011

DEZ COISAS A SEREM APRENDIDAS COM O JAPÃO





1 – A CALMA
Nenhuma imagem de gente se lamentando, gritando e reclamando que “havia perdido tudo”. A tristeza por si só já bastava.
 
2 – A DIGNIDADE
Filas disciplinadas para água e comida. Nenhuma palavra dura e nenhum gesto de desagravo.
 
3 – A HABILIDADE
Arquitetos fantásticos, por exemplo. Os prédios balançaram, mas não caíram.
 
4 – A SOLIDARIEDADE
As pessoas compravam somente o que realmente necessitavam no momento. Assim todos poderiam comprar alguma coisa.
 
5 – A ORDEM
Nenhum saque a lojas. Sem buzinaço e tráfego pesado nas estradas. Apenas compreensão.
 
6 – O SACRIFÍCIO
Cinquenta trabalhadores ficaram para bombear água do mar para os reatores da usina de Fukushima. Como poderão ser recompensados?
 
7 – A TERNURA
Os restaurantes cortaram pela metade seus preços. Caixas eletrônicos deixados sem qualquer tipo de vigilância. Os fortes cuidavam dos fracos.
 
8 – O TREINAMENTO
Velhos e jovens, todos sabiam o que fazer e fizeram exatamente o que lhes foi ensinado.
 
9 – A IMPRENSA
Mostraram enorme discrição nos boletins de notícias. Nada de reportagens sensacionalistas com repórteres imbecis. Apenas calmas reportagens dos fatos.
 
10 – A CONSCIÊNCIA
Quando a energia acabava em uma loja, as pessoas recolocavam as mercadorias nas prateleiras e saiam calmamente.        

terça-feira, 12 de abril de 2011

Kokoro


Quando voltei ao Brasil, depois de residir doze anos no Japão, me incumbi da difícil missão de transmitir o que mais me impressionou do povo Japonês: kokoro.
 
Kokoro  ou Shin significa coração-mente-essência.
 
Como educar pessoas a ter sensibilidade suficiente para sair de si mesmas, de suas necessidades pessoais e se colocar à serviço e disposição do grupo, das outras pessoas, da natureza ilimitada?
 
Outra palavra é gaman: aguentar, suportar.  Educação para ser capaz  de suportar dificuldades e superá-las.
 
Assim, os eventos de 11 de março, no Nordeste japonês, surpreenderam o mundo  de duas maneiras.
A primeira pela violência do tsunami e dos vários terremotos, bem como dos perigos de radiação das usinas nucleares de Fukushima.
A segunda pela disciplina, ordem, dignidade, paciência, honra e respeito de todas as vítimas.
Filas de pessoas passando baldes cheios e vazios, de uma piscina para os banheiros. 
Nos abrigos, a surpresa das repórteres norte americanas: ninguém queria tirar vantagem sobre ninguém.  Compartilhavam cobertas, alimentos, dores, saudades, preocupações, massagens. Cada qual se mantinha em sua área.  As crianças não faziam algazarra, não corriam e gritavam, mas se mantinham no espaço que a família havia reservado.
 
Não furaram as  filas para assistência médica – quantas pessoas necessitando de remédios perdidos- 
mas esperaram sua vez também para receber água, usar o telefone, receber atenção médica,  alimentos, roupas e escalda pés singelos, com pouquíssima água.  
 
Compartilharam também do resfriado, da falta de água para higiene pessoal e coletiva, da fome, da tristeza, da dor, das perdas de verduras, leite, da morte. 
Nos supermercados lotados e esvaziados de alimentos, não houve saques.  Houve a resignação da tragédia e o agradecimento pelo pouco que recebiam.  Ensinamento de Buda, hoje enraizado na cultura e chamado de kansha no kokoro: coração de gratidão.
 
Sumimasen é outra palavra chave.  Desculpe, sinto muito, com licença. Por vezes me parecia que as pessoas pediam desculpas por viver.  Desculpe causar preocupação, desculpe incomodar, desculpe precisar falar com você, ou tocar à sua porta.  Desculpe pela minha dor, pelo minhas lágrimas, pela minha passagem, pela preocupação que estamos causando ao mundo.  Sumimasem.
 
Quando temos humildade e respeito pensamos nos outros, nos seus sentimentos, necessidades. Quando cuidamos da vida como um todo, somos cuidadas e respeitadas.
O inverso não é verdadeiro: se pensar primeiro em mim e só cuidar de mim, perderei.  Cada um de nós, cada uma de nós é o todo manifesto.
 
Acompanhando as transmissões na TV e na Internet pude pressentir a atenção e cuidado com quem estaria assistindo: mostrar a realidade, sem ofender, sem estarrecer, sem causar pânico.  As vítimas encontradas, vivas ou mortas eram gentilmente cobertas pelos grupos de  resgate e delicadamente transportadas – quer para as tendas do exército, que serviam de hospital, quer para as ambulâncias, helicópteros, barcos, que os levariam a hospitais.
 
 
Análise da situação por especialistas, informações incessantes a toda população pelos oficiais do governo e a noção bem estabelecida de que “somos um só povo e um só país”.
 
Telefonei várias vezes aos templos por onde passei e recebi telefonemas.  Diziam-me do exagero das notícias internacionais, da confiança nas soluções que seriam encontradas e todos me pediram que não cancelasse nossa viagem em Julho próximo.
 
Aprendemos com essa tragédia  o que Buda ensinou há dois mil e quinhentos anos: a vida é transitória,  nada é seguro neste mundo,  tudo pode ser destruído em um instante e reconstruído novamente.
 
Reafirmando a Lei da Causalidade podemos perceber como tudo  está interligado e que nós humanos não somos e jamais seremos capazes de salvar a Terra.  O planeta tem seu próprio movimento e vida.  Estamos na superfície, na casquinha mais fina.  Os movimentos das placas tectônicas não tem a ver com sentimentos humanos, com divindades, vinganças ou castigos.  O que podemos fazer é cuidar da pequena camada produtiva, da água, do solo e do ar que respiramos.  E isso já é uma tarefa e tanto.
 
Aprendemos com o povo japonês que a solidariedade leva à ordem, que a paciência leva à tranquilidade e que o sofrimento compartilhado leva à reconstrução.
 
Esse exemplo de solidariedade, de bravura, dignidade, de humildade, de respeito aos vivos e aos mortos ficará impresso em todos que acompanharam os eventos que se seguiram a 11 de março.
 
Minhas preces, meus respeitos, minha ternura e minha imensa tristeza em testemunhar tanto sofrimento e tanta dor de um povo que aprendi a amar e respeitar.  
 
Havia pessoas suas conhecidas na tragédia?, me perguntaram. E só posso dizer : todas.  Todas eram e são pessoas de meu conhecimento.  Com elas aprendi a orar, a ter fé, paciência, persistência.  Aprendi a respeitar meus ancestrais e a linhagem de Budas. 
 
Mãos em prece (gassho)
Monja Coen

quinta-feira, 31 de março de 2011

kiirtans e bhajans

Aqui vai a dica de um site com kiirtans e bhajans para voce ouvir e baixar.
http://www.anandaarpana.com/music/

quarta-feira, 30 de março de 2011

inscrição Rupestre

O Deus átomo repousa nas rochas
Cresce nas plantas
Anda nos animais
Pensa nos homens
Ama nos anjos

Por isso, respeite


As rochas como se fossem plantas
As plantas como se fossem animais
Os animais como se fossem homens
Os homens como se fossem anjos..

inscrição Rupestre--Tibet-3000 A.C.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Veja o que Obama vai comer no Brasil



FONTE: http://congressoemfoco.uol.com.br/noticia.asp?cod_canal=21&cod_publicacao=36391

A banqueteira Renata La Porta revela com exclusividade ao Congresso em Foco o que Barak Obama comerá na sua passagem por Brasília

Fábio Góis

Nada de churrasco. Nada de feijoada. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu comida “vegan”. Isso mesmo: o presidente negro da maior nação do mundo, conhecida por se entupir de hamburguer, deu instruções para que a sua dieta no Brasil seja mais radical que a vegeteriana. Ou seja: nada do que tenha origem animal entra na alimentação. Nem carne, nem leite, nem ovos.

O veganismo, aliás, observa o direito dos animais pelo ângulo da ética, e os adeptos da filosofia não admitem qualquer exploração ou abuso sobre os exemplares da fauna, seja qual for a espécie.

“Já estamos programando um cardápio vegan. O vegan não come nenhum tipo de produto animal. Nem mel, nem ovo, nem queijo. Nada”, revelou ao Congresso em Foco, com exclusividade, a responsável pelos comes e bebes da visita presidencial norte-americana, neste fim-de-semana, a empresária de gastronomia Renata La Porta, dona de um dos mais requisitados buffet da capital federal. Só a comitiva de Obama terá 200 pessoas, entre políticos, empresários, jornalistas, profissionais de inteligência e agentes de segurança. Além, é claro, das mulheres do presidente (a mulher e suas duas filhas).

Em entrevista concedida em seu escritório no Lago Sul, bairro nobre de Brasília, Renata adiantou à reportagem detalhes da cozinha para o primeiro dia da visita de Obama ao Brasil, no próximo sábado (19). No dia seguinte, a comitiva norte-americana partirá para o Rio de Janeiro, onde um discurso do presidente está previsto na Cinelândia, na zona central da cidade. Aí, já não é mais com ela.



E o que comerá Michelle Obama, a bela e esbelta esposa do presidente? “Não sei te falar. A orientação que recebemos foi de que o cardápio que será servido onde ele estará tem de ser 100% vegan. Então, acredito que ela também seja. Não nos foi solicitado que seja uma parte [do cardápio] vegan e a outra, não”, acrescenta Renata, que trabalha com a estimativa de que, reunindo os quatro eventos da visita, 2 mil pessoas consumam seus produtos.

“Foi pedido também que houvesse uma mistura com produtos brasileiros. Então, por exemplo, estamos promovendo uma feijoada vegan, com alguns itens especiais como espaguete de palmito pupunha. Uma coisa com pegada brasileira, mas sempre respeitando essa restrição vegan”, completou Renata, referindo-se ao dia de alta gastronomia no Palácio do Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores), no próximo sábado (19).

O termo vegan (a pronúncia é “vígan”) é uma corruptela da expressão inglesa "vegetarian" – suprimindo-se o núcleo da palavra, sobra a junção entre as três primeiras e as duas últimas letras da versão inglesa da palavra “vegeratiano”. Ao invés de animais irracionais, os adeptos do veganismo preferem chamar os demais seres vivos de “não humanos”.

Vegan no Alvorada

Segundo Renata, ao todo serão quatro eventos em que sua equipe de gastronomia servirá os mais diversos cardápios – claro, observando-se as limitações filosóficas de Obama. O único elemento que estará presente em todos eles – aliás, por recomendação do cerimonial da Casa Branca – são sucos naturais tipicamente brasileiros. “Todo o cardápio tem uma pegada brasileira. Além disso, vamos oferecer outras bebidas nacionais.” Inclusive alcoólicas? “Muito pouca coisa. Como são encontros mais de trabalho, haverá muito pouco alcool. No almoço na Confederação Nacional da Indústria [CNI], não haverá álcool algum. Horário de almoço... não é um evento à noite.”

Além do Itamaraty, convescotes relativos à visita presidencial também serão realizados em um hotel de Brasília e na sede da Apex (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), que reunirão empresários de ambos os países. Um deles, o do hotel, reunirá 600 pessoas e é patrocinado pela CNI, cliente habitual de Renata. No pacote, “café da manhã, coffee break, almoço sentado com cinco pratos”. "Vai ser uma coisa bem caprichada”, adianta Renata, que é formada em Administração de Empresas na Europa.

Desde 1998, quando fundou o buffet homônimo e ingressou na atividade conhecida como catering, Renata já serviu a reis, príncipes, magnatas e personalidades diversas. E, na primeira visita de Obama ao Brasil, servirá também à primeira presidenta brasileira. “O outro convite, que partiu do Palácio do Planalto, é para realizarmos um serviço no Palácio da Alvorada, no sábado à noite. Um convite da família da presidenta Dilma para a família do presidente Obama. Vai ser um evento pequeno, restrito, não oficial, de família para família”, informa a empresária.

E o que comerão Dilma e Obama à mesma mesa, já que a presidenta gosta de um bom churrasco gaúcho? “O que eu posso dizer é que será um cardápio de inspiração 100% brasileira, com alguns itens vegan, e extremamente informal. A presidenta Dilma quer uma coisa sem formalidade. Um encontro de família”, adiantou Renata, acostumada a saciar os apetites de políticos de diversos matizes e colorações partidárias. “Tem senadores e deputados extremamente simples em seus gostos, e outros que têm paladares muito rebuscados. O que eu diria é que a maioria sempre gosta de solicitar cardápios que contenham coisas da sua região.”

FBI na cozinha

Segundo Renata, o cardápio sem produtos animais foi a única exigência da Casa Branca quanto ao paladar. Já em relação à segurança, não só à alimentar, o cuidado é máximo. “Isso é típico de todos os dignatários. A gente trabalha com garçons previamente credenciados, só uma parte da equipe é autorizada a chegar perto do presidente”, observou, acrescentando que cada um dos credenciados passam por uma “investigação de bons precedentes”. “Eles fazem uma varredura completa.”

Existe também uma preocupação acerca do acondicionamento dos produtos, bem como em relação à presença dos cozinheiros e dos próprios comensais. “Sempre fechados, água mineral lacrada, para evitar todo e qualquer tipo de perigo. Eles trazem também o degustador deles, vai haver um acompanhamento de agentes da comitiva, dentro da nossa cozinha, que vai liberar a comida do presidente Obama. Isso é praxe”, revela Renata. Cada porção de comida e de bebida, diz, será provada antes por uma pessoa da comitiva – hábito secular que remonta aos provadores que, caso ingerissem algo envenenado, morriam em lugar de reis, rainhas e demais membros da família real.

Low profile

Serão quatro “salas vip” a receber as guloseimas e bebericos de Renata – uma para a comitiva de Obama; uma para a turma da presidenta Dilma Rousseff; uma para empresários; e outra para cerca de 100 jornalistas credenciados no Itamaraty. Mas, a despeito da quantidade de oportunidades, Renata diz que não deve cumprimentar Obama ou quaisquer de seus familiares. “Eu vou estar ralando na cozinha”, brinca, referindo-se à tarefa de cuidar para que tudo saia dentro dos conformes. E não vai querer saber se Obama terá aprovado a comida?

“Eu costumo ter uma postura muito discreta. A não ser que esteja como convidada – o que não é o caso, estou lá para trabalhar –, eu não me sinto no direito de tomar tempo [do cliente em questão]. Jamais peço para tirar uma foto, por exemplo, a não ser que a pessoa ofereça. Acontece muito de o chefe de Estado gostar do nosso trabalho e ir lá na cozinha agradecer”, comentou. “Às vezes, pedem para me conhecer, aí eu vou lá. Eu tomar a iniciativa, não.”

Sobre o fato de ter sido a “escolhida” para prestar o serviço gastronômico, Renata diz que não se sente como tal – até porque, até onde ela sabe, é sua equipe que realiza tais tarefas oficiais em Brasília. “O chefe do cerimonial me disse que queria um buffet à prova de falha, por isso tinha me procurado. Acho que isso é um elogio, não é?”, destacou a empresária brasiliense, profissionalmente precavida. “Eu só gosto de comentar um evento depois que ele aconteceu. Jamais divulgo antes.”

Se depender de Renata, Obama voltará mais bem nutrido para enfrentar a maioria oposicionista no Congresso americano, depois de provar os sucos brasileiros e os petiscos vegan preparados por sua equipe. “Se Deus quiser. Bem alimentado.”

veja mais em: http://www.band.com.br/jornaldaband/conteudo.asp?ID=100000411317

Jyoshna and Friends Tour



Um video que fizemos no parque Ecologico Visao Futuro em fevereiro de 2011.

Você tem medo de dizer eu te amo

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Meditação - Matérias publicadas recentes Na Folha e no Globo

Meditação muda estrutura do cérebro

Estudo de Harvard mostra, pela primeira vez, que a prática pode aumentar a concentração de massa cinzenta

Ressonância magnética exibiu variações em áreas ligadas a estresse, aprendizagem e à regulação de emoções

Paula Giolito/Folhapress

A gerente administrativa Bia Farah, 51, em aula de meditação na escola Ciymam

MARIANA VERSOLATO
DE SÃO PAULO

De olhos fechados, em silêncio e, de preferência, sentados, os praticantes da meditação de atenção plena devem se concentrar em apenas uma coisa: a respiração.
A técnica é antiga, da tradição budista, mas começou a ser mais difundida depois de ter sido usada em um curso não religioso de redução de estresse, criado em 1979 por Jon Kabat-Zinn, professor da Escola Médica da Universidade de Massachussets.
Os benefícios da técnica, conhecida também como "mindfulness", já foram relatados em vários estudos.
A lista vai da melhora de sintomas de esclerose múltipla (como diz estudo publicado na "Neurology") à prevenção de novos episódios de depressão (demonstrada em artigo na "Archives of General Psychiatry").
Mas, agora, um estudo mostra, pela primeira vez, os efeitos provocados por essa meditação no cérebro.
A pesquisa, publicada hoje na "Psychiatry Research: Neuroimaging", foi feita pela Harvard Medical School, nos EUA, em conjunto com um instituto de neuroimagem da Alemanha e a Universidade de Massachussets.
E o mais importante: as mudanças ocorreram em apenas oito semanas de meditação em praticantes adultos iniciantes.
As conclusões foram feitas após comparações entre as ressonâncias magnéticas dos que praticaram a meditação e de um grupo-controle que não fez as aulas.
Outros estudos já haviam sugerido que a meditação causa mudanças no cérebro. Mas eles não excluíam a possibilidade de haver diferenças preexistentes entre os grupos de meditadores experientes e não meditadores.
Ou seja, não era possível afirmar se os efeitos eram causados pela prática.

MENOS ESTRESSE
Todos os 16 participantes da pesquisa, com idades de 25 a 55 anos, deveriam obedecer a um critério: não ter feito nenhuma aula de meditação "mindfulness" nos últimos seis meses ou mais de dez aulas em toda a vida.
Eles frequentaram oito encontros semanais, com duração de duas horas e meia.
Também foram instruídos a fazer 45 minutos de exercícios diários e a praticar os ensinamentos da meditação em atividades do dia a dia, como andar, comer e tomar banho.
Para avaliar as mudanças, todos os participantes e o grupo-controle fizeram ressonâncias magnéticas antes e depois do período de aulas.
Os exames iniciais não indicaram diferenças entre grupos, mas as ressonâncias feitas após o curso mostraram um aumento na concentração de massa cinzenta no hipocampo esquerdo naqueles que haviam meditado.
Análises do cérebro todo revelaram mais quatro aumentos de massa cinzenta: no córtex cingulado posterior, na junção temporo-parietal e mais dois no cerebelo.

BENEFÍCIOS
Britta Hölzel, pesquisadora da Harvard Medical School e uma das autoras do estudo, disse à Folha que isso pode significar uma melhora em regiões envolvidas com aprendizagem, memória, emoções e estresse.
O aumento da massa cinzenta no hipocampo é benéfico porque ali há uma maior concentração de neurônios, afirma Sonia Brucki, do departamento científico de neurologia cognitiva e do envelhecimento da Academia Brasileira de Neurologia.
"Antes, acreditava-se que a pessoa só perdia neurônios durante a vida. Agora, vemos que podem brotar em qualquer fase da vida, e determinadas atividades fazem a estrutura do cérebro mudar."
Isso significa que o cérebro adulto também é plástico, capaz de ser moldado.
No ano passado, um estudo dos mesmos pesquisadores já mostrava redução da massa cinzenta na amígdala cerebral, uma região relacionada à ansiedade e ao estresse, em pessoas que fizeram meditação por oito semanas.
Mas qualquer um que começar a meditar amanhã terá esses mesmos efeitos benéficos em algumas semanas?
"Provavelmente sim", diz a neurologista Sonia Brucki.
Ela ressalta, no entanto, que a idade média dos participantes da pesquisa é baixa e, por isso, não dá para afirmar com certeza que isso acontecerá com pessoas de todas as idades.
Agora, a pesquisadora Britta Hölzel quer entender como essas mudanças no cérebro estão relacionadas diretamente à melhora da vidas das pessoas.
"Essa é uma área nova, e pouco se sabe sobre o cérebro e os mecanismos psicológicos relacionados a ele. Mas os resultados até agora são animadores."

Veja mais: http://g1.globo.com/platb/espiral/2011/02/01/meditacao-altera-fisicamente-o-cerebro/

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Assim mesmo...

» por Madre Teresa de Calcutá (1910-1997)

Muitas vezes, o povo é egocêntrico, ilógico e insensato.

Perdoe-o, assim mesmo.


Se você é gentil, o povo pode acusá-la de egoí sta e interesseira.

Seja gentil, assim mesmo.


Se você for um vencedor,
terá alguns falsos amigos e alguns inimigos verdadeiros.

Vença, assim mesmo.


Se você é honesta e franca, o povo pode enganá-la.

Seja honesta e franca, assim mesmo.


O que você levou anos para construir,
alguém pode destruir de uma hora para outra.

Construa, assim mesmo.


Se você tem paz e é feliz, o povo pode sentir inveja.

Seja feliz, assim mesmo.


O bem que você faz hoje, o povo pode esquecê-lo amanhã.

Faça o bem, assim mesmo.


Dê ao mundo o melhor de você,
mas isso pode nunca ser o bastante.

Dê o melhor de você, assim mesmo.


Veja você que, no fim das contas, é entre você e Deus.

Nunca foi entre você e o povo

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Curso de Horta Orgânica

DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO
Prefeitura Municipal de Tatuí

O Sindicato Rural Patronal de Tatuí está com inscrições abertas para um curso de Horta Orgânica, realizado em parceria com a Secretaria Municipal de Agricultura e o Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem). Os interessados devem ir até a sede do sindicato, localizado na Rua Onze de Agosto nº 1375, no Centro, entre as 8 e 17 horas, de segunda à sexta. As inscrições são gratuitas e seguem até que as 25 vagas sejam preenchidas.

As aulas acontecerão duas vezes por mês, de março a novembro. Os inscritos até o dia 10 de fevereiro se reunirão no Sindicato Rural Patronal às 8 horas, para que o instrutor do curso, o agrônomo Paulo Bassum, esclareça o funcionamento das aulas. Neste dia, os alunos escolherão os dias e horários das aulas, além de serem informados do local de sua realização, ainda não definido.

Acesse: http://www.tatui.sp.gov.br/
E-mail: comunicacao@tatui.sp.gov.br

JYOSHNA LA TROPE BRASIL


terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Cálculo do Arcano Pessoal

©® Giancarlo Kind Schmid (direitos reservados) Gravuras: "Rider Tarot" - Arthur Edward Waite - desenhos de Pamela Smith

Um dos estudos mais fascinantes dentro do Tarot é o que combina a Numerologia (Gematria), a análise do nome e as lâminas do Tarot. Esse estudo tem estreita relação com a Kabbalah e aponta para aspectos muito importantes na prática com o Tarot. Um trabalho que acho fascinante é a TABELA MEDIEVAL DE BONGO que tem relação com a Kabbalah. Vamos fazer um pequeno estudo de nosso nome, para saber qual é o seu Arcano Pessoal?

Clique no link abaixo e digite o seu nome, olha que interessante:

http://www.taroterapia.com.br/arcano/cap.html?nome=

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

15 dicas para viver uma vida mais consciente, plena e equilibrada

















1. Todos nós ao nascer, ganhamos um espelho. Este espelho é, então, colado no nosso peito. E assim vivemos toda a nossa vida, refletindo o outro e vendo no (espelho do) outro o nosso reflexo. Hermann Hesse disse : "Se você odeia uma pessoa, odeia algo nela que faz parte de você. O que não faz parte de nós não nos incomoda."

Viver considerando isto, vai desenvolvendo nossa compaixão, nossa tolerância, nossa empatia e nossa solidariedade para com as nossas fraquezas e dificuldades e as dos outros.



2. Cem por cento do que somos e vivemos (inclusive o que supomos ser acidentes) é fruto de nossas escolhas e opções. Conscientes ou inconscientes. Desta ou de outras vidas.

Viver consciente disto desenvolve nosso discernimento e nossa responsabilidade para com a vida, com as pessoas e com nossas atitudes.



3. Livre-se da culpa. A única função da culpa é manter sua auto-estima baixa (por isso algumas religiões fomentam a idéia da culpa para assim manter poder). Transmute a culpa por responsabilidade. Ninguém é culpado de absolutamente nada, mas todos são completamente responsáveis por tudo.

Viver assim te torna mais atento e cuidadoso para com toda a existência.



4. Desenvolva a aceitação. Sempre que entramos em contato com alguma dificuldade ou fraqueza nossa, através de alguém ou de alguma circunstância, normalmente o primeiro impulso da mente/ego é: ou nos defendermos, negando e resistindo a entrar em contato (muitas vezes entrando na irritação e na revolta, geralmente imputando a culpa a alguém ou a alguma coisa), ou entramos na condição de vítimas, mergulhando na baixa auto-estima.

Aceite sua natureza humana como ela é e aceite também a sua sombra. Entenda que você está aqui na Terra para aprender e expandir sua existência. Um Mestre hindu falou: "Errar, ter defeitos, falhas, fraquezas, é seu direito. Trabalhar para transmutar isso tudo é seu dever".




5. Tudo no Universo tem duas polaridades : yin/yang, masculino/feminino, positivo/negativo, etc. As emoções e os sentimentos também tem duas polaridades: o outro lado da tristeza é a alegria, do medo é a coragem, da raiva é a energia de realização, do ódio é o amor e o perdão, da ansiedade e da angústia é a calma e o centramento, da baixa auto-estima é a confiança em si mesmo, enfim, nosso grande trabalho de transmutação é estar constantemente reequilibrando estas polaridades. Os hindus diriam que devemos estar sempre transmutando Tamas e Rajas em Sattwa, isto é, trazendo sempre os pensamentos, sentimentos e atos densos , limitadores e negativos, para as freqüências mais sutis.

Viver assim economiza um bocado de energia. Considerando que tudo na vida é passageiro, é mais inteligente procurar mudar a polaridade das coisas e dar a volta por cima do que ficar naufragando constantemente nos mesmos padrões psico-emocionais.




6. Desenvolva a neutralidade e a observação. Os índios chamam isto de "visão da águia" : sair voando de dentro do burburinho dos eventos e, de cima, com uma perspectiva ampla, observar os acontecimentos sem identificação ou julgamentos. Ou, em outro exemplo: sair de dentro do rio caudaloso de nossa vida - onde estamos imersos até o pescoço - sentar na margem e observar. Quando dentro do rio, imersos até o pescoço, qualquer ondinha nos parece um vagalhão, mas quando nos sentamos à beira do rio, a ondinha novamente vira ondinha, e aí podemos ter uma perspectiva mais correta e um envolvimento menos sofrido com as coisas.

Isto desenvolve uma profunda consciência da relatividade dos pontos de vista e, por conseguinte, o redimensionamento da nossa identificação e envolvimento com a transitoriedade da vida.



7. Evite as comparações. Lembra do "jardim do vizinho é sempre mais bonito?" Ledo engano! Grande armadilha! Mal sabemos que o vizinho ao olhar nosso lado também pensa a mesma coisa sobre algum aspecto de nós...

Considerar este fato, te livra do peso dos julgamentos alheios e te torna mais centrado em teu próprio eixo.



8. Os hindus dizem que todas as doenças que existem - sejam físicas, emocionais, psíquicas ou energéticas - derivam, de uma forma ou de outra, de uma única doença: a ignorância de nossa natureza real, a Unidade (eles chamam esta ignorância de avidya e a Unidade de Brahman).

Toda a criação é uma grande web onde tudo é interagente, interdependente e holográfico. Realmente não estamos irremediavelmente presos a tempo e espaço e às três dimensões (não só as antigas tradições, mas a física quântica atual afirmam amplamente esta questão). Considerando nossa natureza una, saiba que não há nada fora de você que você precise obter que já não tenha. Está tudo dentro de você, todo o Universo. Você apenas precisa relembrar sua natureza original, que está pulsando em cada partícula do Universo, em cada pessoa, em cada ser de cada reino. Todo amor, paz e felicidade já estão dentro de você, sempre.

Você decididamente não é um pecador. Você não é uma pedra bruta que precisa ser lapidada. Você já é uma jóia pronta, maravilhosa, só que recoberta pela poeira desta ignorância primordial.

Passar a considerar estas verdades milenares em nossa vida cotidiana desenvolve nossa co-participação consciente no Universo nos seus mais diversos níveis de existência.


9. Todo o Universo é consciente ! Cada pessoa, cada animal, cada planta, cada pedra, cada célula, cada átomo, cada galáxia... A consciência não é um privilégio do cérebro humano, que é apenas um dos veículos onde esta Consciência se expressa. Esta é a chamada onipresença e onisciência de Deus. Os índios têm formas sofisticadas de entrar em contato e interagir com a consciência subjacente à Natureza.

Viver considerando este fato torna tua vida muito mais respeitosa, consciente e responsável.


10. Quando a vida nos apresenta algum evento desconfortável, algum obstáculo ou algum confronto, normalmente o que é acionado em nosso corpo/mente é o "automático" lutar ou fugir. A adrenalina e o cortisol estao sempre prontos para desencadear ação. Mas a verdade é que na maior parte das vezes não seria necessário lutar nem fugir, bastaria relaxar e observar, e a partir daí agir com consciência, ou então deixar os acontecimentos se desenrolarem naturalmente. Vamos investir mais nas endorfinas! Faça Yoga ou TaiChiChuan!

Desta forma, em todos os níveis e setores da nossa vida, podemos integrar firmeza e simultaneamente relaxamento só firmeza gera rigidez e só relaxamento gera moleza !



11. Adote a pergunta : "O que é que eu tenho que aprender com isso?" . Todas (todas mesmo) as coisas que nos acontecem, vem para nos ensinar. A vida está sempre fazendo suas arrumações para que possamos aprender e evoluir. Por isso alguém já disse: "cuidado com o que você deseja pois pode acontecer!" . Nós costumamos achar que quando pedimos à Deus alguma virtude, Ele vai milagrosamente introduzir esta virtude em nossa mente e de repente ficamos pacientes, ou disciplinados, ou tolerantes. Provavelmente o que a vida fará é te proporcionar situações que vão te fazer desenvolver aquela virtude. Se você pediu paciência, provavelmente vai atrair pessoas que vão te fazer perdê-la, e aí é que estará o seu aprendizado.

Então, sempre que as pessoas ou as circunstâncias te trouxerem desconfortos ou incômodos, ao invés de se revoltar, se ofender ou se entristecer, ou ainda, achar que a culpa é do outro, pergunte à Vida o que esta situação está te obrigando a trabalhar, que virtudes e qualidades você está tendo que desenvolver para lidar com isso de forma harmônica e equilibrada.

Este procedimento com certeza vai aumentar enormemente a qualidade de nossa consciência e a conseqüente percepção dos movimentos da vida e do seu sentido.



12. Gastamos grande tempo mental ficando angustiados por um passado que não podemos mais mudar e/ou ficando ansiosos por um futuro que ainda não chegou. Outra grande parte, ainda, gastamos sonhando acordados, delirando os nossos sonhos e desejos. E aí duas coisas ocorrem: uma: sobra pouco tempo para a consciência do aqui-e-agora, o presente, que é onde efetivamente a vida acontece; duas: quando precisamos da mente para as coisas que ela foi feita para funcionar “ a nossa vida humana diária “ esta mente tem dificuldade em se concentrar, em estar presente, inteira, poderosa, centrada.

Concentrando-nos no presente desfrutamos mais da vida. A meditação é um ótimo treinamento para aprender a viver no presente, nos livrando das pré-ocupações e desenvolvendo uma mente verdadeiramente eficiente.


13. Infelizmente, ainda vivemos sob a ideologia do "ganha-perde" , ou seja, temos muito incutida em nossa cultura a idéia de que para se ganhar alguém precisa perder. É assim que se construiu, por exemplo, o sistema capitalista. Também é seguindo esta filosofia que está-se destruindo nosso planeta. E é desse ganha-perde que estão impregnadas as nossas relações (lembra da lei de Gérson?). Não só no sentido profissional e financeiro, mas também no emocional e no afetivo.

É urgente reimplantar-se o "ganha-ganha" nas relações interpessoais e nas relações do homem com a Natureza. Não existe nenhuma possibilidade de ganho real para nada nem ninguém, em nenhum setor da vida, se este ganho for obtido em detrimento da perda de alguém ou de alguma coisa. Na visão oriental, o Karma Yoga é a técnica que visa reeducar o homem e a sociedade para a verdadeira forma de ganhar.

Este procedimento simples pode transformar toda a perspectiva que temos em relação à vida, entendendo e vivendo na prática a grande lei universal de causa e efeito.



14. Atente para a sincronicidade. Uma escritura hindu diz : "Nenhuma folha de grama se mexe sem uma razão" . Nada é casual, mas tudo é intrinsecamente causal. Um outro Mestre disse : "nós falamos com Deus através da oração, e Ele nos fala através da sincronicidade". O Dr. Jung percebeu que era esta qualidade da Criação que fazia com que as artes divinatórias (I Ching, Tarot, Runas, Búzios) funcionassem. Todo o Universo é Um, portanto tudo é interrelacionado. E a Lei do Karma é quem disciplina este interrelacionamento. Atente para os sinais! O tempo todo o Universo está interagindo com você!

Estar atento à sincronicidade desenvolve a intuição e a expansão da percepção do movimento consciente e multidimensional do Universo.



15. E finalmente "sobretudo não faças aos outros o que não queres que te façam" ainda é a regra de ouro.

Viver integralmente assim te torna efetivamente consciente, pleno e equilibrado.